Sem Categoria

Prêmio Nobel: A história do prêmio mais prestigiado do mundo

Na semana passada todos os olhos se voltaram para os vencedores do Prêmio Nobel de 2020. Sendo o prêmio mais prestigiado do mundo, ele consagra conquistas científicas, literárias e humanitárias.

Além de sua causa nobre e extremamente importante, a premiação indica como se encontra o cenário internacional e as interpretações do que é visto como mais relevante na época.O Prêmio Nobel tem a capacidade de chamar a atenção para problemas das mais diversas vertentes, podendo ser causas sociais, econômicas ou ambientais.  Por esses motivos, quando são anunciados, os vencedores viram notícia pelo mundo todo.

O testamento que deu início ao Prêmio Nobel

Alfred Nobel (1883-1896) foi um químico autodidata que, durante toda a sua vida, trabalhou no desenvolvimento e explosivos com o objetivo de encontrar o equilíbrio e o controle no uso da nitroglicerina, o que o levou até a dinamite, sua maior descoberta. No entanto, especula-se que a ideia de suas invenções serem utilizadas para fins violentos sempre o atormentou.

Em 1985 Alfred assinou seu último testamento no qual especificou que a maior parte de sua fortuna deveria ser dividida em partes para “aqueles que, durante o ano anterior, tiverem conferido o maior benefício para a humanidade”. Sua herança deveria ser dividida em cinco partes: física, química, fisiologia ou medicina, literatura e paz.

Dessa forma em 1900 foi criada a Fundação Nobel, responsável por selecionar os ganhadores e organizar o financiamento de prêmios para as cinco categorias estipuladas no testamento de Alfred. Em 1901 foi realizada a primeira premiação, que segue até hoje, e em 1968 foi inserida a categoria “Economia”. 

Quem decide os premiados e o que ganham?

Para iniciar o processo de escolha, os comitês de cada área do Nobel enviam cartas para acadêmicos do mundo todo solicitando indicações para a premiação. Evidentemente, não é possível se auto indicar e os indicados só são considerados caso tenham reconhecimento de até três pessoas. São indicadas pessoas que se destacaram em suas áreas de atuação no ano anterior ao da cerimônia.

Cada comitê segue suas próprias regras para a seleção dos vencedores, não havendo interferência entre eles. Quando o vencedor é selecionado, apenas ele é anunciado publicamente. Os concorrentes só poderão ser divulgados anos após a seleção.

Os vencedores de cada categoria recebem um diploma, uma medalha de ouro de 18 quilates e uma quantia em milhões de coroas suecas. No final do ano, em dezembro, acontece uma cerimônia em que os vencedores recebem seus prêmios e realizam um discurso de agradecimento pelo reconhecimento de seu trabalho.

Recusas

É difícil de acreditar mas o prêmio mais cobiçado do mundo já foi rejeitado. Jean-Paul Sartre (1905-1980) ganhou o prêmio Nobel de literatura em 1964, no entanto, o recusou pois não recebia premiações.

Em 1973 Le Duc Tho (1911-1990) e Henry Kissinger foram premiados com o Nobel da paz por negociarem o acordo de paz na guerra do Vietnã. Enquanto Le Duc Tho era o chefe de negociações do Vietnã do Norte, Henry Kissinger era o secretário de estado dos Estados Unidos. No entanto, Le Duc Tho não aceitou receber o prêmio pois alegou que a trégua não foi respeitada.

 Algumas recusas não foram feitas de forma voluntária como as descritas acima. Quatro vencedores foram obrigados a abrir mão de seu Prêmio Nobel por questões políticas.

Adolf Hitler proibiu três alemães de aceitarem seus prêmios: Richard Kuhn (1900-1967), que recebeu o prêmio nobel de química em 1938 pelo seu trabalho com carotenóides e vitaminas, Adolf Butenandt (1903-1995), ganhador do Prêmio Nobel de química em 1939 pelo seu trabalho sobre hormônios sexuais, e Gerhard Domagk (1895-1964), ganhador do prêmio de fisiologia ou medicina de 1939 pela descoberta da droga antibacteriana prontosil. Todos conseguiram aceitar seus prêmios no futuro, seus diplomas e medalhas, mas não suas recompensas financeiras.

Outro caso de recusa involuntária foi o escritor Boris Pasternak (1890-1960) que ganhou o prêmio Nobel de literatura em 1958 por suas realizações na poesia lírica contemporânea e na tradição russa. Boris aceitou o prêmio e se disse extremamente grato. No entanto, foi perseguido logo em seguida pelas autoridades da União Soviética que declararam seus romances anti soviéticos, coagindo o escritor a enviar um telegrama para a academia recusando o prêmio.

Vencedores presos do Prêmio Nobel

Diferente dos casos de renúncia, não é surpreendente imaginar que alguns vencedores do Prêmio Nobel da paz se encontravam presos na época de suas premiações.

Carl Von Ossietzky (1889-1938), jornalista e ativista social alemão, foi o vencedor do prêmio Nobel da paz de 1935 enquanto estava preso em um campo de concentração.  A premiação gerou polêmicas pois no ano de 1935 o comitê foi pressionado pelo governo alemão para não realizar a entrega do prêmio naquele ano e de fato não o fez, alegando que o momento não era apropriado devido a momentos políticos instáveis da época, citando África e Ásia. No entanto em 1936 anunciaram que o prêmio de 1935 seria concedido enfim a Carl Von Ossietzky.

O Prêmio Nobel da paz de 1991 foi atribuído a ativista Aung San Suu Kyi pela sua luta não violenta pela democracia e pelos direitos humanos em Mianmar. Na época estava em prisão domiciliar e não pode receber o prêmio, no entanto, o recebeu em 2011.

Em 2010 o escritor ativista Liu Xiaobo (1995-2017) recebeu o Prêmio Nobel da paz por sua longa e não violenta luta pelos direitos humanos fundamentais na China. Recebeu seu prêmio preso por se posicionar contra a República Popular da China, motivo pelo qual sofreu sucessivas prisões até o final de sua vida.

Momentos memoráveis

Em quase 120 anos, muitos foram premiados e todos são dignos de admiração e prestígio. No entanto, existem algumas descobertas que repercutiram pelo mundo e seu reconhecimento é lembrado até hoje.

Dentre os vencedores mais memoráveis, para cada categoria estão:

·        Física: Albert Einstein (1879-1955), que recebeu o Prêmio Nobel em 1921 pelos seus estudos de física teórica com foco na descoberta da lei do efeito fotoelétrico. Werner Heisenberg (1901-1976) foi nominado pelo próprio Albert Einstein e recebeu o prêmio Nobel de 1932 pela descoberta dos princípios da mecânica quântica.

·        Química: Marie Curie (1867-1934) recebeu seu primeiro Prêmio Nobel de física em 1903, sendo a primeira mulher a receber um Prêmio Nobel, em conjunto com Antoine Henri Becquerel (1852-1908) e seu marido Pierre Curie (1859-1906). O prêmio foi em decorrência da descoberta e estudos sobre radioatividade espontânea. Em 1911, Marie recebeu o seu segundo Prêmio Nobel, agora em química, pela descoberta e isolamento do elemento rádio. Em 1935, Irène Joliot-Curie (1897-1956), filha de Marie Curie, ganhou o prêmio Nobel de química junto de seu marido, Jean-Frédéric Joliot-Curie (1900-1958) pela descoberta da radioatividade artificial.

·        Fisiologia/Medicina: Dentre os muitos prêmios Nobel de fisiologia ou medicina, dois se destacam como grandes descobertas que revolucionaram a ciência. Em 1945, Alexander Fleming (1881-1955), Ernst Chain (1906-1979) e Howard Florey (1898-1968) ganharam o prêmio Nobel pela descoberta da penicilina. Em 1962, Francis Crick (1916-2004), James Watson (1928-1968) e Maurice Wilkins (1916-2004) receberam o prêmio Nobel pela descoberta da estrutura do DNA.

·        Literatura:  Em 1954, Ernest Miller Hemingway ( 1899-1961) recebeu o Prêmio Nobel pelo domínio da arte da narrativa demonstrado em “O velho e o mar” e sua influência no estilo contemporâneo.

·        Paz: Em 1964 Martin Luther King Jr. (1929-1968) recebeu o Prêmio Nobel pela sua luta pelos direitos civis e justiça social. Diferente do que se pensa, não foi o primeiro negro a receber o Prêmio Nobel, esse título foi de Ralph Bunche (1904-1971), que recebeu o Nobel da paz em 1950 por sua atuação mediadora em Israel. A vencedora mais jovem do Prêmio Nobel foi Malala Yousafzai que recebeu, junto ao ativista Kailash Satyarthi, o prêmio de 2014. Kailash dedicou sua vida a fazer campanhas contra trabalho infantil na índia e pelo direito universal à educação. Malala iniciou sua luta a favor da liberdade a educação de mulheres e contra a repressão de crianças e jovens por influência de seu pai, professor e ativista pelos direitos à educação, e por conta dos acontecimentos trágicos de sua vida.

·        Economia: Angus Deaton recebeu o prêmio Nobel em 2015 por sua análise de consumo, pobreza e bem-estar. Em 2019, Abhijit Banerjee,Esther Duflo e Michael Kremer receberam o prêmio Nobel por sua abordagem experimental que visava aliviar a pobreza global.

Atualidades: Vencedores do Prêmio Nobel de 2020

Na semana passada foram anunciados os vencedores do Prêmio Nobel de 2020.

O primeiro prêmio anunciado foi o de fisiologia e medicina no dia 05 de outubro.  Os vencedores foram os virologistas Charles M. Rice, Harvey J. Alter e Michael Houghton que receberam o prestígio pela descoberta do vírus de hepatite C. Seus estudos abriram caminho para o desenvolvimento de tratamentos efetivos contra a doença que é responsável pela morte de quase 400.000 pessoas por ano. 

No dia 06 de outubro foram anunciados os vencedores do Prêmio Nobel de física, os pesquisadores Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez. Roger Penrose recebeu o prêmio pela descoberta de que a formação de buracos negros é uma previsão robusta da teoria geral da relatividade. Reinhard e Andrea receberam pela descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro da galáxia.

Já no dia 07 de outubro, os olhos se voltaram para Emmanuelle Charpentier e Jennifer A. Doudna que receberam o prêmio Nobel em química pelo desenvolvimento do método de edição de genomas (CRISPR-Cas9). A microbiologista Emmanuelle Charpentier descreveu a presença do tracrRNA, molécula de RNA que ajuda a sinalizar o que deve ser clivado pela enzima cas no sistema CRISPR-Cas9. Logo em seguida fez uma parceria com a química Jennifer Doudna e as duas realizaram ensaios que isolaram os componentes da CRISPR-Cas9, adaptaram e programaram para cortar pedaços específicos de um DNA isolado, demonstrando que era possível utilizar esse sistema para edição de genomas.

Em 08 de outubro foi anunciada a vencedora do Prêmio Nobel de literatura, a escritora Louise Glück,  que aborda de forma sensível e profunda a compulsão humana por recontar histórias frente aos acontecimentos da vida. Seu Prêmio Nobel foi recebido “ por sua inconfundível voz poética que, com austera beleza, torna universal a existência individual”.

No dia 09 de outubro, o Programa Mundial de Alimentos da ONU (World Food Programme) recebeu o Prêmio Nobel da paz pelos seus esforços no combate a fome e por sua contribuição em melhorar as condições em áreas sob constante conflito.

Por fim, no dia 12 de outubro, o Prêmio Nobel de economia foi entregue para os economistas Paul Milgrom e Robert Wilson por suas contribuições na teoria dos leilões e novos formatos destes, aprimorando a venda de bens e serviços que não são realizados de forma tradicional.

Referências:

  1. Site oficial do Prêmio Nobel
  2. Pioneers of revolutionary CRISPR gene editing win chemistry Nobel – Nature News Articles

Faça Seu Comentário